Certificados de Aforro

Agosto 01 2011

Os certificados de Aforro, em Agosto, vão render um máximo de 3,8%, durante três meses, para quem investiu neste produto na primeira metade de 2008. A maior parte da remuneração justifica-se pelos prémios de permanência – sem estes os juros não vão além dos 2%. 

Quem já mantém esta aplicação há mais de três anos, conta com uma bonificação de 2,25%, à qual se soma a taxa bruta de 1,617%, com base na evolução da Euribor. A remuneração dos Certificados de Aforro depende desta taxa interbancária – baseada nos juros do Banco Central Europeu. 

Àqueles que não tiverem os prémios de permanência, os CA só vão render 1,617%, em Agosto. Este é o nono mês consecutivo de subida de remuneração dos CA, o que se explica pelo desempenho da Euribor a tês meses, num contexto de subida da taxa directora do BCE.

Apesar de o juro para as novas aplicações ser o mais alto desde Abril de 2009, é baixo se compararmos com outros produtos, nomeadamente do Estado. É o que acontece com os Certificados do Tesouro, lançados em Julho de 2010 - que pagam uma taxa de 2,1% nos primeiros anos, e que dão um retorno de 7,1% a partir do quinto e no décimo ano. 

Esta situação vem contrariar a "fuga" dos portugueses a este produto. Desde o início do ano que já foram retirados mais de 2.300 milhões deste produto da poupança do Estado. Só em Junho saíram mais de 300 milhões, devido à baixa taxa de remuneração que este instrumento de poupança tem proporcionado.

Fonte: Jornal de Negócios

publicado por adm às 22:39

Tudo sobre os Certificados de Aforro aqui
pesquisar
 
Pesquisa personalizada
links