Certificados de Aforro

Outubro 26 2010

As novas subscrições dos certificados de aforro para o mês de Novembro, vão render uma taxa de juro anual bruta de 1,109 por cento.

No mês de Outubro os juros pagos foram de 0,996 por cento. O aumento da rendibilidade resulta da subida crescente das taxas Euribor a três meses, que serve de indexante a este produto de dívida pública comercializado a retalho. Actualmente a Euribor a três meses situa-se a 1,03 por cento e a seis meses a 1,25 por cento, normalmente utilizada como indexante aos empréstimos à habitação. Se por um lado os produtos de poupança indexados à Euribor, têm sido melhor remuneradas, por outro lado os créditos de taxa variável que têm como referência esta taxa interbancária (resultante da média dos juros com que mais de 50 bancos da Zona Euro, emprestam dinheiro entre si), têm originado aumentos das prestações mensais.

fonte:saldopositivo

publicado por adm às 21:42

Outubro 25 2010

Desde que o Governo lançou a série C dos certificados de aforro, em Janeiro de 2008, que os portugueses estão a retirar as suas poupanças deste instrumento de dívida pública. Desde então, o montante aplicado em certificados de aforro diminuiu 10,92 por cento, mostram os últimos números do Instituto de Gestão da Tesouraria e do Crédito Público, o organismo responsável pela administração do dinheiro e do financiamento do Estado português. 


A série C foi vista pelos aforradores como um versão menos generosa do que a anterior série B, que existia desde 1986. Além disso, a redução das taxas de juro de mercado, em particular a Euribor a 3 meses que serve de referência ao cálculo da remuneração dos mais recentes certificados, reduziu a rendibilidade potencial do produto. Os certificados de aforro emitidos neste mês de Outubro capitalizam à taxa de juro bruta de 0,996 por cento durante os próximos 3 meses. O lançamento em Julho dos certificados do tesouro contribuiu também para o afastamento dos certificados de aforro, por serem considerados pelos aforradores instrumentos substitutos.
fonte:jornaldenegocios

publicado por adm às 23:26

Outubro 16 2010

Até ao final do ano, a projecção do Governo é de que sejam retirados mais 333 milhões deste produto de poupança.

 

O Governo prevê que os resgates de Certificados de Aforro se cifrem em 1.005 milhões de euros, este ano. Na proposta de Orçamento para 2010, a previsão para este ano era de um saldo líquido de zero.

Dados revelados pelo IGCP, mostram que até ao final de Agosto, ou seja, nos primeiros oito meses do ano, o saldo entre novas subscrições e resgates era já negativo em 672 milhões.

No relatório do Orçamento do Estado para 2011, o Governo reviu a projecção para este ano, de um saldo líquido de zero, para um valor negativo em 1.005 milhões de euros. Ou seja, em Setembro, Outubro, Novembro e Dezembro, deverão sair mais 333 milhões.

Para 2011, a projecção é de que o ritmo de resgates abrande. A previsão é de um saldo negativo entre novas subscrições e resgates num total de 500 milhões de euros, sendo que o Certificado do Tesouro deverão captar 993 milhões de euros.

fonte:jornaldenegocios

publicado por adm às 22:26

Tudo sobre os Certificados de Aforro aqui
pesquisar
 
Pesquisa personalizada
subscrever feeds
links