Certificados de Aforro

Junho 29 2011

Rendibilidade dos Certificados de Aforro vai subir pelo quinto mês consecutivo em Julho.

Há cinco meses que a rendibilidade dos Certificados de Aforro não pára de subir. As subscrições que sejam realizadas em Julho vão render 1,537%, o valor mais elevado desde Abril de 2009.

A motivar esta subida na rendibilidade dos Certificados esteve a tendência ascendente das taxas Euribor nas últimas semanas. A taxa a vigorar no próximo mês compara assim com os 1,467% definidos para o mês de Junho, segundo os cálculos realizados pelo Diário Económico.

Mas apesar da melhoria na remuneração destes instrumentos financeiros são cada vez menos os investidores que actualmente se sentem impelidos a apostar em Certificados de Aforro.

Os últimos dados revelados pelo IGCP, relativos a Maio, mostram resgates líquidos no valor total de 566 milhões de euros, um dos valores mais elevados de sempre. Já no mês anterior, em Abril, a tendência tinha sido de fuga, com os portugueses a resgatar 737 milhões de euros dos Certificados de Aforro. 

fonte:http://economico.sapo.pt/

publicado por adm às 23:24

Junho 29 2011

As subscrições dos certificados de aforro realizadas em Julho vão render 1,537%. É o valor mais elevado desde Abril de 2009.

A tendência ascendente da Euribor a três meses nas últimas semanas motivou uma nova subida na rendibilidade dos certificados de aforro, outrora um dos produtos financeiros preferidos das famílias portuguesas. A série C é a única em comercialização.

A taxa a vigorar para as subscrições feitas no próximo mês será de 1,537%, acima dos 1,467% definidos para Junho, segundo cálculos efectuados pelo Económico. Esta é a quinta subida mensal consecutiva do juro oferecido pelos certificados de aforro e o valor mais elevado desde Abril de 2009.

Esta melhoria na remuneração não tem, contudo, cativado os investidores. Os últimos dados disponíveis, relativos a Maio, mostraram amortizações de 566 milhões de euros, o segundo valor mais elevado de sempre. A perda de popularidade estará associada e menos rendimento disponível e à concorrência dos novos certificados do tesouro que, por estarem indexados aos juros da dívida pública, oferecem uma remuneração muito superior aos certificados de aforro.

fonte:http://economico.sapo.pt/

publicado por adm às 00:02

Junho 21 2011

Em Maio, os portugueses voltaram a retirar um montante recorde dos Certificados de Aforro.

Foram amortizados 566 milhões de euros, o segundo valor mais alto de sempre, só ultrapassado pela fuga de 737 milhões de euros no mês anterior.

Em contrapartida, este produto de poupança do Estado só conseguiu captar 30 milhões de euros em Maio, valor que iguala o mínimo histórico registado em Fevereiro deste ano.

Os Certificados da série C, a única actualmente em comercialização, pagam em Junho 1,467% brutos, o que ajuda a explicar a fuga dos investidores, já que existem alternativas no mercado com taxas bastante mais atractivas. A taxa média dos depósitos a prazo é actualmente de 3,3%.

Além disso, os Certificados de Aforro enfrentam ainda a concorrência do mais recente produto de poupança do Estado. Os Certificados do Tesouro continuam a registar em Maio um saldo positivo entre emissões e amortizações, de 77 milhões de euros.

Foram emitidos 101 milhões de euros e amortizados 24 milhões. Embora congeladas desde Abril, as taxas oferecidas neste produto continuam a conquistar adeptos entre os aforradores portugueses.

A partir do quinto ano de investimento, os Certificados do Tesouro oferecem 6,8% brutos, e no décimo ano a taxa bruta chega aos 7,1%. Nos primeiros quatro anos de investimento, os juros são de 1,95%.

fonte:http://economico.sapo.pt/

publicado por adm às 22:57

Tudo sobre os Certificados de Aforro aqui
pesquisar
 
Pesquisa personalizada
subscrever feeds
links