Certificados de Aforro

Julho 25 2012

Em apenas um mês, o de junho, os portugueses retiraram 172 milhões de euros dos certificados de aforro. Um valor a juntar aos restantes meses que, no total do semestre, somam 1.245 milhões de euros que foram retirados destes títulos de dívida pública, revela esta quarta-feira o Instituto de Gestão da Tesouraria e do Crédito Público (IGCP).

Ao mesmo tempo, foram investidos, em junho, apenas 19 milhões. O saldo mensal fica assim, mais uma vez, negativo: menos 154 milhões de euros, face a maio. Este é o 39º mês consecutivo de resgates deste produto de poupança.

Já os certificados do Tesouro conseguem manter-se em terreno positivo, mas pouco. Os portugueses investiram 14 milhões e retiraram 5 milhões de euros. Contas feitas, o saldo mensal atinge os 1.382 milhões, apenas mais 8 milhões do que em maio, diz o Boletim Mensal do IGCP.

A fuga dos investidores deste produto de poupança deve-se à sua fraca rentabilidade, devido às Euribor, atualmente, nos valores mais baixos de sempre.

fonte_http://www.agenciafinanceira.iol.pt/

publicado por adm às 23:05

Julho 18 2012
Taxa oferecida neste produto vai descer para 0,809%. É o juro mais baixo desde meados de 2010, sendo a remuneração líquida a mais baixa de sempre, renovando o mínimo histórico que tinha fixado este mês.

A rendibilidade dos certificados de aforro continua a cair a pique. A forte descida da Euribor a 3 meses, que serve de indexante aos juros praticados por este produto de poupança, leva a que a taxa recue, em Julho, pelo oitavo mês consecutivo.


A taxa bruta desce, a partir do próximo mês, dos 0,829% actuais para os 0,809% para as novas subscrições realizadas em Julho. Fixa, assim, um novo mínimo desde Maio de 2010.

A rendibilidade líquida volta a bater um mínimo histórico. Já tinha sido a mais baixa de sempre em Junho, e voltará a sê-lo no mês que vem, descendo para 0,607%, sendo este o resultado do agravamento da tributação de 21,5% para 25%.

Mesmo quem tem os certificados da Série C desde o início, e tenha revisão trimestral no mês que vem, obterá uma taxa baixa. Considerando o prémio de permanência, de 1%, o retorno bruto anual será de 1,809%. O líquido será de 1,356%.

Este baixo retorno explica a fuga dos investidores deste produto. Em Maio, de acordo com os dados publicados ontem pelo IGCP, os portugueses resgataram 186 milhões de euros.

O saldo negativo de Maio veio avolumar a saída de dinheiro dos certificados de aforro desde o início do ano, que supera já os 1.000 milhões de euros. A estimativa do Governo para 2012 é de que os resgates ascendam a 1.500 milhões, meta que deverá ser largamente superada.
fonte:http://www.jornaldenegocios.pt/h
publicado por adm às 23:41

Tudo sobre os Certificados de Aforro aqui
pesquisar
 
Pesquisa personalizada
subscrever feeds
links