Certificados de Aforro

Outubro 17 2013
Taxas elevadas têm permitido a entrada de “dinheiro fresco” neste produto de poupança. Depois da entrada líquida de 250 milhões, desde o início deste ano, o Governo estima manter a tendência, captando mais de mil milhões no decorrer do próximo ano.

Os certificados de aforro ganharam “vida nova” com a revisão em alta do prémio oferecido nestes títulos. Além de se estancar a saída de dinheiro, já começa a registar-se a entrada líquida de poupanças neste produto. Este ano, o Estado deverá financiar-se em 210 milhões, valor que dispara para 1.060 milhões no próximo.

 

Na proposta de Orçamento do Estado para 2014, o Executivo inscreveu um valor de 1.360 milhões de euros para a obtenção de financiamento através deste produto de poupança de retalho, registando-se 300 milhões de resgates. O saldo será positivo, algo que deverá verificar-se este ano, mas que será o mais elevado desde em mais de uma década.

 

Apesar da “concorrência” que haverá por parte dos novos certificados do Tesouro – com os quais o Executivo estima angariar 1.440 milhões de euros, este ano – o Executivo acredita que há margem para que os portugueses continuem a apostar nestes títulos. Por mês, a perspectiva é de que o saldo líquido ascenda a 88 milhões.

 

O Estado conta com os juros elevados deste produto para atrair as poupanças dos pequenos investidores para este produto. Com a introdução de um prémio de 275 pontos-base nos certificados de aforro, até ao final de 2016, a taxa bruta anual destes títulos deverá manter-se acima da fasquia dos 3%.

 

fonte:http://www.jornaldenegocios.pt/e

publicado por adm às 00:03

Tudo sobre os Certificados de Aforro aqui
pesquisar
 
Pesquisa personalizada
links