Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Certificados de Aforro

Tudo sobre os Certificados de Aforro aqui

Tudo sobre os Certificados de Aforro aqui

Certificados de Aforro

27
Set10

Certificados de aforro voltam a render menos em Outubro

adm

Após cinco subidas, rentabilidade inverte com Euribor a três meses a recuar

 

Depois de cinco meses seguidos de subidas, os juros dos certificados de aforro vão voltar a baixar em Outubro. 

A rentabilidade dos certificados é calculada no antepenúltimo dia útil de cada mês com base numa fórmula: 85% da média da Euribor a três meses nas dez sessões anteriores (a sessão de hoje é a última a contar), a que se soma um factor permanente de 25%. 

Assim, quem subscrever certificados de aforro em Outubro vai receber um juro de 0,996%, abaixo dos 1,008% pagos em Setembro.

A taxa de rentabilidade dos certificados de aforro estava a subir há cinco meses, consequência da tendência de recuperação lenta mas consistente das Euribor. Setembro foi a primeira vez num ano em que ficou acima de 1%. Agora a descida de Outubro deve-se à inversão da Euribor a três meses, que regressou às quedas nas últimas semanas.

Se mesmo com as subidas recentes os certificados de aforro não convenciam os portugueses, esta nova queda deverá afugentar ainda mais as poupanças. Este produto de poupança perdeu cerca de 670 milhões de euros este ano.

fonte:agenciafinanceira

26
Set10

Governo recusa subir taxa de juro aos Certificados de Aforro

adm

O ministro das Finanças recusou acatar a recomendação do ex-provedor de Justiça, Nascimento Rodrigues, para repor a taxa de juro que era aplicada aos Certificados de Aforro da série B antes de 24 de Janeiro de 2008, data em que entrou em vigor uma forma de remuneração mais desfavorável para os aforradores. Para já, Alfredo José de Sousa, sucessor de Nascimento Rodrigues, está, segundo revelou ao CM a Provedoria de Justiça, a analisar "a fundamentação" de Teixeira dos Santos para não acolher aquela recomendação.

 

A solicitação do ex-provedor de Justiça, que resultou de "inúmeras queixas" de pequenos aforradores, foi enviada ao ministro das Finanças no dia 20 de Janeiro de 2009. A posição de Teixeira dos Santos só chegou, segundo a Provedoria de Justiça, "ao cabo de um ano e meio de inúmeras insistências". E foi clara: "Esta resposta foi no sentido do não acatamento da recomendação e a fundamentação apresentada pelo Ministério das Finanças encontra-se em análise, prevendo-se que, muito em breve, seja tomada posição final sobre o assunto por parte do provedor de Justiça."

Ao que o CM apurou, caso Alfredo José de Sousa não aceite a fundamentação apresentada pelo Ministério das Finanças, o assunto poderá ser comunicado à Assembleia da República. E, se assim for, Teixeira dos Santos corre sérios riscos de ter de dar explicações aos deputados.

O ex-provedor de Justiça comunicou também ao ministro das Finanças o "gritante sentimento de desalento" dos investidores. E precisou: "É patente, pois, que estes milhares de pequenos aforristas, que foram subscrevendo, ao longo dos anos, Certificados de Aforro para a sua ‘velhice', ou como ‘complemento da minha baixa pensão de reforma' (assim o escrevem) sentem que o seu contrato com o Estado português foi abruptamente violado."

Nascimento Rodrigues deu mais uma achega: "E, de facto, a portaria 73-B/2008 entrou em vigor no dia seguinte ao da sua publicação, colhendo inopinadamente de surpresa estes pequenos aforradores."

 

ALTERAÇÃO DA LEI GERA POUPANÇA DE 412 MILHÕES

As alterações na forma de remuneração dos Certificados de Aforro estão a surtir efeito no Orçamento do Estado: em 2009, segundo o relatório anual do Instituto de Gestão da Tesouraria e do Crédito Público (IGCP), os encargos com juros associados a este título de dívida pública registaram um decréscimo de 312 milhões de euros. E em 2008 essa poupança ascendera já a mais de 100 milhões de euros.

Em 2009, a taxa de juro, por força das alterações e da Euribor, desceu bastante: foi de três por cento, contra 4,7 por cento em 2008.

fonte:cmjornal

02
Set10

Taxas de Juro dos Certificados de Aforro das Séries A, B e C em Setembro de 2010

adm

A taxa de juro bruta para novas subscrições de Certificados de Aforro, Série C, em Setembro de 2010 foi fixada em 1,008%.

A taxa de juro anual em vigor no trimestre corrente de contagem de juros, em função do ano e mês de subscrição os certificados de aforro pode ser consultado nos quadros seguintes:

» Informação de taxas de juro dos Certificados de Aforro - Série C

» Informação de taxas de juro dos Certificados de Aforro - Série B

» Informação de taxas de juro dos Certificados de Aforro - Série A

IGCP, 31 de Agosto de 2010

» Informação de taxas de juro (histórico e outros indexantes)

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Politica de privacidade

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2007
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2006
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D